terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Sugestões


Jorge Reis-Sá e Rui Lage organizaram. Vasco Graça Moura prefaciou. Um exército de especialistas (Nuno Júdice, Fernando Guimarães, Perfecto E. Cuadrado, Maria Bochicchio, Osvaldo Silvestre, Giulia Lanciani, Giuseppe Tavani, entre tantos outros) fez as devidas apresentações. E a Porto Editora publicou. É uma monumental Antologia da Poesia Portuguesa do Séc. XIII ao Séc. XXI. Um poema para amostra, de Rui Pires Cabral (n. 1967), um dos últimos dos grandes, provavelmente o grande dos últimos:

[PASSAGEM DE PEÕES]


À vinda do supermercado
diz-me o pequeno monstro
que às vezes me faz companhia:
«E qual é a tua razão de ser?»

Na rua, a tarde rola devagar
entre prédios murchos - e ele
acrescenta: «Não me digas
que são os versos.»

E ri-se.


[in Capitais da Solidão, 2006)


[JPC]

2 comentários:

Margarida disse...

You can do it.
As beautiful as that.
Lovelier, even.

Maria disse...

A poesia é, e será sempre, uma forma literária superior. Deixo uma sugestão (não é nova, mas é simplesmente deliciosa) - "Poesias Completas", de Alexandre O´Neill, editado pela Assírio & Alvim.