segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Música política


O artigo de James Taranto no Wall Street Journal é divertido e enganador.
James Taranto parte de um excerto do mais recente livro de Philip Ball em que este afirma que a música clássica moderna, depois de Schoenberg, é mais difícil para o cérebro em virtude da sua atonalidade. Acrescenta-lhe uma "colherada" de David Huron que entende que a música clássica moderna, por ser imprevisível na sua evolução, frustra os ouvintes, pelos constantes falhanços nas antecipações que fazem, o que os impede de terem o prazer da correcta antecipação .
Deste "mix" conclui James Taranto, que a música clássica moderna não dá prazer ao ouvinte (como se o prazer só pudesse resultar da correcta antecipação) e é uma fraude ...
E, numa enganadora analogia, James Taranto conclui que também o plano de saúde de Obama é uma fraude. Um artigo divertido e enganador.
[FTM]

1 comentário:

Jonas Lopes disse...

Caros, dica de um link curioso. A lista dos presidentes americanos que tinham maior bagagem de leitura: http://www.thedailybeast.com/blogs-and-stories/2010-02-14/the-best-read-presidents/