segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O planeta de Cavaco

«Não vale a pena iludir: Sócrates e Cavaco não vivem no mesmo planeta. O primeiro, em prédica natalícia, confessou já ver ‘sinais de retoma’ para o país, provavelmente inscritos nas estrelas. É o planeta da fantasia. O segundo, em mensagem demolidora, remeteu as visões místicas do primeiro-ministro para o caixote: a situação é péssima, pode piorar e o governo persiste no adiamento, na propaganda e na lamúria. É o planeta da realidade.
Da realidade e, acrescento eu, de um político altamente profissional, que prepara em 2010 a recandidatura para 2011. Como? Distanciando-se do caos reinante e emergindo perante os portugueses como o único agente que fala ‘verdade’.
A campanha para as presidenciais começou com a mensagem de Ano Novo. O engº Sócrates que tome nota: a partir de agora, é cada um por si até à meta de Belém.»
[JPC, Correio da Manhã, 3/1/2010]

2 comentários:

cia disse...

Meta de Belém? os dois? hum...o Sócrates está já sem fôlego ( demasiadas toxinas); o Cavaco? ora, primeiro parou, depois hibernou,a seguir chorou e só agora acordou. E o tempo? o tempo não esperou, passou e...andou!

Liliana disse...

O problema do Cavaco é ser um homem sério demais...